Não se culpe e não se submeta

Home / Blog / Não se culpe e não se submeta
Não se culpe e não se submeta

Olá, queridos!

A maior dificuldade encontrada em algumas consultorias é fazer com que se entenda que não devemos empregar em nossas vidas dois conceitos: culpa e submissão. Muitos de nós fomos criados com padrões de subserviência, de obrigação com o outro, de auto-anulação. Esses padrões são extremamente nocivos no decorrer dos anos trazendo muitos prejuízos para a vida profissional e pessoal.

No campo profissional, uma subserviência excessiva pode gerar a impressão de baixo valor profissional/pessoal. Veja: é necessário que se entenda que há um equilíbrio nessa equação subserviência/arrogância. Entenda que os extremos, independentes das denominações são nocivos e representam perigo em suas relações. Atitudes como subserviência, auto-anulação constante, submissão, na maioria das vezes, trazem até a mim pessoas com altíssimo padrão profissional anulados e/ou não reconhecido. Por isso é tão importante identificar esses padrões e exterminá-los tão antes possível.

Então, meu conselho é: não se culpe e nem se submeta. Resumidamente: não se culpe por ter tentado e falhado, não se culpe por dizer "não" algumas vezes, não se culpe por escolher o seu bem-estar por um tempo frente à outro, não se culpe quando algo não dependia só de você, não se culpe por ideias erradas que outros possam ter a seu respeito.  Não se submeta à situações de degenaram sua auto-estima, que te expões emocionalmente ou fisicamente. Não se submeta a receber menos do que você merece e isso não tem a ver com egoísmo, não se submeta a se encolher para ficar em lugares que você não cabe. Cuide do bem mais precioso: você.

Encontre o equilíbrio. Essa é a chave para a mudança que você quer.

Até o próximo artigo.

Um beijo!